FASE DE TRANSIÇÃO PERMITE ABERTURA DO COMÉRCIO DE CAMPINAS, MAS MANTÉM O HOME OFFICE

FASE DE TRANSIÇÃO PERMITE ABERTURA DO COMÉRCIO DE CAMPINAS, MAS MANTÉM O HOME OFFICE

Em, 17.04.2021

José Homero Adabo (1)

O Governo do Estado de São Paulo criou uma fase intermediária entre vermelha e laranja (fase de “transição”), permitindo um pouco mais de flexibilidade na abertura dos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços.

Para a implementação desta fase em Campinas, o Prefeito publicou hoje (17/04) o Decreto Municipal nº 21.449/2021, regulamentando o funcionamento das atividades econômicas permitidas e aquelas não permitidas em Campinas, condições a serem seguidas e horários de funcionamento. A Fase de “Transição” no município está dividida em dois períodos:

(i) de 18 de abril a 23 de abril de 2021, com poucas atividades econômicas liberadas e

(ii) de 24 de abril a 30 de abril de 2021, onde ficam autorizadas a funcionar, além das atividades da primeira fase, mais algumas, antes paralisadas.

1º Período da Fase de Transição

 A partir de amanhã (18/04) e até o próximo dia 23 de abril estão autorizadas a funcionar em Campinas as seguintes atividades, assim regulamentadas:

  1. Comércio e serviços, incluindo galerias e estabelecimentos congêneres, com horário reduzido das 11h às 19h e público limitado a 25% da capacidade total;
  2. Shoppings podem ter atendimento presencial a partir deste domingo (18), também das 11h às 19h, com público limitado a 25% da capacidade total.
  3. Cultos, missas e outras atividades religiosas coletivas presenciais podem ocorrer a partir deste domingo (18), das 06h00 às 20h00, com distanciamento e rigoroso controle de acesso e protocolos sanitários.
2º Período da Fase de Transição

Este período vai de 24 de abril e 30 de abril de 2021 e estão autorizados a funcionar, além das atividades acima, mais as seguintes:

  1. Restaurantes e similares, exceto bares;
  2. Salões de beleza, barbearias, clínicas de estética e congêneres;
  3. Atividades culturais, tais como museus, galerias, centros culturais, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos;
  4. Parques públicos e clubes sociais e
  5. Academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica, durante 8 horas diárias, entre as 06h00 e 19h00.

Para todas as atividades elencadas nos itens “1” a “4” do 2º período acima, os estabelecimentos devem respeitar o limite de 25% da capacidade de atendimento, horário de funcionamento reduzido entre as 11h00 e 19h00, além de rigorosa adoção dos protocolos sanitários previstos para o respectivo setor.

O decreto publicado hoje manteve o toque de recolher de pessoas e veículos em vias públicas, das 20h01 às 4h59, durante a permanência de Campinas nas Fases Emergencial, Vermelha e de Transição do Plano São Paulo.

Segue abaixo a lista atualizada até o Decreto Municipal nº 21.449/2021, publicado hoje, das atividades classificadas como essenciais e que continuam com o funcionamento autorizado, no primeiro período da Fase de “Transição” do Plano São Paulo, na forma e condições quando descritas no próprio item.

  1. Assistência à saúde, incluídos os serviços médicos, hospitalares e de ópticas;
  2. Atividades de segurança privada;
  3. Transporte de passageiros por táxi ou aplicativos;
  4. Serviços de alimentação, como restaurantes, bares e congêneres, os quais devem atender exclusivamente mediante serviços de entrega (delivery) até o limite de horário do Alvará do estabelecimento e retirada (drive thru) até as 20h00, vedado o atendimento do consumidor no interior do estabelecimento e com rigoroso controle de distanciamento interpessoal e de aglomeração nas entradas dos estabelecimentos;
  5. Padarias, supermercados, atacadistas e comércios em geral que vendam gêneros alimentícios e produtos de limpeza, sendo permitida a entrada, no estabelecimento, de apenas uma pessoa por família, ou, no máximo, a entrada de um adulto com uma criança de até 12 anos de idade, devendo encerrar o funcionamento presencial às 20h00, com rigoroso controle de distanciamento interpessoal e de aglomeração nas entradas dos estabelecimentos, podendo atender por entrega (delivery) até o limite de horário fixado no Alvará do estabelecimento e por retirada (drive thru) até as 20h00;
  6. Farmácias;
  7. Serviços bancários, nestes incluídos as casas lotéricas;
  8. Indústrias e fábricas, as quais deverão respeitar a capacidade máxima de 30% em seus refeitórios;
  9. Hotéis, pousadas e outros meios de hospedagem, lavanderias e serviços de limpeza, estando autorizado apenas o serviço de alimentação nos quartos;
  10. Serviços de entregas em geral;
  11. Empresas transportadoras, postos de combustíveis e derivados, armazéns, oficinas de veículos automotores, borracharias e serviços congêneres;
  12. Empresas do ramo de construção civil com contratos administrativos em vigor com a administração direta e indireta da Municipalidade de Campinas visando à realização de obras públicas essenciais.
  13. Empresas do ramo de construção civil, devendo observar estritamente as normas da autoridade sanitária;
  14. Veterinárias e serviços de atendimento de pet, priorizando-se os serviços de entrega (delivery) de medicamentos e insumos, bem como de busca e retirada de animais;
  15. Serviços de manutenção predial, elétrica ou hidráulica;
  16. Lojas de materiais de construção civil;
  17. Comércio de insumos para oficinas mecânicas;
  18. Atividades de comércio de bens e serviços automotivos, incluídas aquelas de higiene, lavagem, estacionamento, locação e comercialização de veículos;
  19. Integralidade da cadeia de abastecimento e logística envolvendo a produção agropecuária e a agroindústria, armazenamento, processamento, beneficiamento, manutenção, comercialização, distribuição e fornecimento de produtos, equipamentos e insumos e a industrialização de produtos agrícolas, químicos e veterinários;
  20. Serviços de entrega (delivery) até o limite de horário previsto no Alvará do estabelecimento e retirada (drive thru) até as 20h00 de qualquer atividade comercial ou de prestação de serviços, vedado o atendimento do consumidor no interior do estabelecimento;
  21. Estabelecimentos comerciais de assistência técnica de produtos eletroeletrônicos;
  22. Atividades internas de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviço. IMPORTANTE: Ficam suspensas até o próximo dia 23/04 todas as atividades previstas neste item 22 e
  23. Comércio de alimentação e remédios para animais, sendo permitida a entrada, no estabelecimento, de apenas uma pessoa por família, ou, no máximo, a entrada de um adulto com uma criança de até 12 anos de idade, devendo encerrar o funcionamento presencial às 20h00, podendo atender por entrega (delivery) até o limite de horário autorizado pelo Alvará do estabelecimento.

Permanecem em vigor nesta fase todos os protocolos sanitários de distanciamento social seletivo avançado do Plano São Paulo. Continua sendo obrigatória a afixação na recepção do estabelecimento do documento Declaração de Estabelecimento Responsável. O responsável que figura nesta declaração também ficará obrigado a cumprir e a zelar para que todos igualmente cumpram as regras sanitárias no interior do estabelecimento. Há previsão de multa de 400 Unidades Fiscais de Campinas – UFICs, ou seja, de R$ 1.446,44, para quem descumprir estas normas.

As Autoridades Municipais (Secretaria Municipal de Saúde – DEVISA; Secretaria de Planejamento e Urbanismo – SEPLURB; Guarda Municipal; PROCON e SETEC) e as empresas ficarão juntas responsáveis por fiscalizar o cumprimento no estabelecimento das exigências acima, inclusive eventual fila que estiver do lado de fora, o que continua proibida.

COMENTÁRIOS DO ESCRITÓRIO

Houve pouca flexibilização no primeiro período da fase de “Transição” (18 de abril a 23 de abril de 2021) e melhora gradativa no segundo período (24 de abril e 30 de abril de 2021).  As atividades de escritório continuam, pelo menos durante o primeiro período desta fase, com todo o trabalho sendo feito de forma remota (home office).

O ponto positivo da medida é a possibilidade de abertura das lojas de rua e de shopping, mas por um pequeno período (das 11h às 19h) e com público limitado a 25% da capacidade. As igrejas poderão abrir para atividades presenciais já a partir de amanhã, domingo, com todos os cuidados sanitários necessários.

Os bares, restaurantes e congêneres continuam autorizados a funcionar para serviços de retirada presencial. Permanecem autorizadas as entregas por meio de motoboys, nos horários previstos acima. Assim, são permitidos neste momento os Serviços de entrega (delivery) até o limite de horário do  Alvará do estabelecimento e retirada (drive thru) até as 20h00 para qualquer atividade comercial ou de prestação de serviços, vedado sempre o atendimento do consumidor no interior do estabelecimento.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS: Esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos no Departamento de R&H, pelo e-mail rh@escritoriotaquaral.com.br, ou junto ao Departamento de Tributos, pelo e-mail info@escritoriotaquaral.com.br diretamente com as profissionais que atendem a sua empresa. Todas estarão sob a Coordenação de Sirlei Campos (R&H) e Sirlene Souza (Tributos), respectivamente.

Ressalvamos que o conteúdo acima é um mero resumo explicativo da legislação veiculada. Para outras questões pertinentes à matéria comentada, mas não abordadas neste trabalho, favor consultar a própria legislação nos links a seguir (i) http://conteudo.campinas.sp.gov.br/sites/conteudo.campinas.sp.gov.br/files/dom-extra/2021-04/dom-extra-2021-04-1184007819.pdf  (ii) https://bibliotecajuridica.campinas.sp.gov.br/index/visualizaratualizada/id/135456  (iii) https://bibliotecajuridica.campinas.sp.gov.br/index/visualizaratualizada/id/136919

________________

(1) José Homero Adabo é Contador inscrito no CRC/SP sob o nº 74.137/O-3.

Related posts

PROGRAMA EMERGENCIAL DE RETOMADA DO SETOR DE EVENTOS (Perse)

Em, 07.05.2021 José Homero Adabo (1) O governo federal publicou nesta semana a Lei nº 14.148/2021 (DOU 04/05/2021), criando o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse). Trata-se de lei que autoriza o poder executivo, por meio do Ministério da Economia, a editar medidas facilitadoras de crédito...

Saiba Mais

ALTERNATIVAS TRABALHISTAS NA SEGUNDA ONDA DA PANDEMIA: MP 1.046/2021

Em, 30.04.2021 José Homero Adabo (1) Foi publicada no último dia 28/04 a MP nº 1.046/2021, permitindo que possam ser adotadas durante o prazo de 120 dias, contados da data da sua publicação, algumas alternativas de contrato de trabalho, abordadas abaixo. Pelas regras da MP, as medidas só poderão...

Saiba Mais

APLICAÇÃO PRÁTICA DA REDUÇÃO DE JORNADA E SUSPENSÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

Em, 29.04.2021 José Homero Adabo (1) O Governo Federal publicou ontem as MPs. nº 1.045/2021 e 1.046/2021, que dispõem, respectivamente, do Novo Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEM) e as medidas trabalhistas de enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus (basicamente, teletrabalho, antecipação...

Saiba Mais
Como podemos te ajudar?
Enviar pelo WhatsApp