NOVA TABELA DO IRRF DE PESSOAS FÍSICAS A PARTIR DE FEVEREIRO DE 2024

NOVA TABELA DO IRRF DE PESSOAS FÍSICAS A PARTIR DE FEVEREIRO DE 2024

Em, 07/02/2024

José Homero Adabo (1)

O Governo Federal publicou ontem (06/02) a MP – Medida Provisória nº 1.206/2024, atualizando a tabela do IRRF sobre os rendimentos auferidos por pessoas físicas, a partir do mês de fevereiro de 2024. A medida serve para que os contribuintes que recebem até dois salários-mínimos não passem a sofrer o desconto do IR.

Assim, as pessoas físicas devem considerar para efeitos de cálculo do IRRF sobre rendimentos do ano calendário de 2024 duas tabelas do IR: a) a primeira tabela abaixo, com validade de 01.01.2024 a 31.01.2024 e b) a segunda, apresentada logo em seguida, com vigência a partir de 01.02.2024.

Tabela do IR mensal para fatos geradores de 01 a 31.01.2024

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Dedução (R$)
Até R$ 2.112,00 zero zero
De R$ 2.112,01 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 158,40
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15,0% R$ 370,40
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 651,73
Acima de R$ 4.664,68 27,5% R$ 884,96

 Parâmetros a serem considerados na aplicação da tabela acima, para calcular o IR devido mensalmente:

  • Rendimentos previdenciários isentos para maiores de 65 anos: R$ 1.903,98.
  • Dedução mensal por dependente: R$ 189,59.
  • Limite mensal de desconto simplificado: R$ 528,00.
  • A dedução dos R$ 528,00 é opcional e pode ser utilizada por qualquer contribuinte com rendimentos sujeito à tabela progressiva mensal.
  • A base de cálculo do IRRF é o salário bruto ou o pró-labore bruto menos o desconto da contribuição previdenciária e outras deduções permitidas por lei (dependentes, idade maior ou igual a 65 anos etc.)

Tabela do IR mensal para fatos geradores de 01.02.2024 em diante

Base de Cálculo (R$) Alíquota (%) Dedução (R$)
Até 2.259,20 zero zero
De 2.259,21 até 2.826,65 7,5 169,44
De 2.826,66 até 3.751,05 15 381,44
De 3.751,06 até 4.664,68 22,5 662,77
Acima de 4.664,68 27,5 896,00

Para a aplicação da tabela acima (fatos geradores ocorridos a partir de 01.02.2024) devem ser utilizados os seguintes parâmetros para o cálculo do IR devido mensalmente:

  • Rendimentos previdenciários isentos para maiores de 65 anos: R$ 1.903,98.
  • Dedução mensal por dependente: R$ 189,59.
  • Limite mensal de desconto simplificado: R$ 564,80.
  • A dedução dos R$ 564,80 é opcional e pode ser utilizada por qualquer contribuinte com rendimentos sujeito à tabela progressiva mensal.
  • A base de cálculo do IRRF é o salário bruto ou o pró-labore bruto menos o desconto da contribuição previdenciária e outras deduções permitidas por lei (dependentes, idade maior ou igual a 65 anos etc.)

Importante: A MP nº 1.206/2024 não fez qualquer reajuste no valor da dedução por dependente e nem dos rendimentos previdenciários para os maiores de 65 anos, para fins de isenção. Portanto, até segunda ordem, devem prevalecer os demais valores acima.

Antes desta medida, o teto para isenção do IR estava em R$ 2.640,00 (2 SM de R$ 1.320,00 cada). Após a correção do SM para R$ 1.412,00, os contribuintes que auferiam renda pouco menor que dois salários (R$ 2.824,00) teriam que pagar o IR.

Com a Medida Provisória, o governo apenas alterou a primeira faixa da tabela progressiva mensal do IR das PFs, com elevação do limite de aplicação da isenção em 6,97%, que é o reajuste do SM. Desta maneira, o valor atualmente vigente passa de R$ 2.112,00 para R$ 2.259,20.

Vale destacar que o desconto padrão de R$ 564,80 é opcional, ou seja, se o contribuinte tiver direito a descontos maiores autorizados pela legislação (previdência social, dependentes, pensão alimentícia etc.) pode aplicar os descontos efetivamente sofridos, o que não acarretará nenhum prejuízo em suas deduções na declaração completa do IR a ser prestada anualmente.

 COMENTÁRIOS DO ESCRITÓRIO 

O governo federal apenas reajustou a faixa de isenção da tabela do IRRF para os rendimentos auferidos por pessoas físicas, a fim de incorporar o reajuste do salário-mínimo, que passou de R$ 1.320,00 para R$ 1.412,00, a partir de 01/01/2024. Por isso, o desconto opcional simplificado, que corresponde a 25% do valor da faixa de isenção, passou de R$ 528,00 para R$ 564,80 (R$ 2.259,20 x 25,0% = R$ 564,80).

Muito embora opcional o desconto padrão, o nosso sistema de processamento de dados, compara a soma das deduções legais (previdência social, pensão alimentícia e número de dependentes) com o valor dos R$ 564,80 e aplica como dedução, para fins de cálculo do IRRF, o maior valor. Isto garante ao funcionário e ao sócio (caso do pró-labore) a alternativa mais vantajosa.  Os cálculos são feitos de maneira automática para todos os contribuintes.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS: Esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos no Departamento de RH pelo e-mail rh@escritoriotaquaral.com.br ou telefone (19) 3251.8577diretamente com a funcionária que atende à sua empresa, a qual estará sob a Coordenação de Sirlei Campos.

Ressalvamos por fim, que o conteúdo acima é um mero resumo explicativo da legislação veiculada. Para outras questões pertinentes à matéria comentada, mas não abordadas neste trabalho, favor consultar o próprio texto legal e informações oficiais nos links a seguir: (i) https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2023-2026/2024/Mpv/mpv1206.htm e (ii) Governo amplia isenção do Imposto de Renda para quem recebe até dois salários mínimos — Ministério da Fazenda (www.gov.br).

________________

(1) José Homero Adabo é Contador inscrito no CRC/SP sob o nº 74.137/O-3.

Related posts

DJE – DOMICÍLIO JUDICIAL ELETRÔNICO

Em, 23/05/2024 José Homero Adabo (1) O Conselho Nacional de Justiça – CNJ estabeleceu por meio da Resolução CNJ nº 455/2022 a obrigatoriedade de as grandes e médias empresas se cadastrarem no Domicílio Judicial Eletrônico – DJE até o próximo dia 30 de maio. As empresas optantes do Simples...

Saiba Mais

MANIFESTAÇÃO DO DESTINATÁRIO: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER

Em, 01/05/2024 José Homero Adabo (1) Pelo acompanhamento pessoal de várias fiscalizações do ICMS no Estado de São Paulo, e, às vezes por meio de diálogos com Autoridades Fiscais, temos notado que a SEFAZ/SP vem intensificando a lavratura de autos de infração, nos quais o fisco apresenta uma lista,...

Saiba Mais

JUDICIÁRIO VEM DECIDINDO PELA HOMOLOGAÇÃO DA RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

Em, 29/04/2024 José Homero Adabo (1) Muitas empresas têm questionado sobre a manutenção, em muitas CCT – Convenções Coletivas de Trabalho, de cláusula que obriga à homologação da rescisão do contrato de trabalho de trabalhadores com mais de 1 ano na mesma empresa. É possível verificar também que algumas...

Saiba Mais
Como podemos te ajudar?
Enviar pelo WhatsApp
Cookies: a gente guarda estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossa política de privacidade.
Concordar e Fechar
Rejeitar
Política de Privacidade